domingo, 24 de julho de 2016

Voltando ao assunto....Os fogos barulhentos e seus malefícios....

Meg, uma, uma cadela da raça Basset Hound é uma vítima da irresponsabilidade e da futilidade humana(dados da internet). Meg morreu de ataque cardíaco em função da queima de fogos. Meg não é a única e não será a última. Quantos idosos acamados são prejudicados pelo barulho ensurdecedor e repentino dos fogos de artifícios?

O que dizer dos bebês??? Será que eles aprovam??? Pois então, é uma prática rotineira e muitos defendem como sendo "tradição", mais que raio de tradição que tanto faz mal aos animais e a muitos humanos???

Há poucos instantes em Ribeirão Bonito uma saraivada de fogos foram soltos e o resultado visto por mim, foi uma correria de cães de rua, inclusive com  o que eu estava passeando afivelado em uma coleira. 

Que pena que pessoas tidas como sensatas, não perceberam o tremendo mal que eles, os fogos, provocam. Muito pelo contrário, são estimulados a fazer uso dos "barulhentos" em nome da festa, da tradição, do chamamento para o consumo seja lá do que for.
Em muitos países  europeus os fogos são proibidos, porém o nível de consciência e respeito muito maior que o nosso. Penso que não seria preciso a obrigatoriedade, apenas o bom senso daqueles que ainda não se deram conta dos malefícios. Quanto às lideranças da cidade, bem é só esperar a boa vontade e o RESPEITO, pois o direito de uma pessoa vai até onde começa o direito da outra pessoa.

Levando-se em conta que por iniciativa própria por parte dos foguistas, será muito difícil estancar essa prática, quem sabe um candidato a vereador às próximas eleições tenha a dignidade e a consciência de encaminhar um projeto de lei proibindo o uso dos fogos com barulho no município? 


Independente disso, se houver consenso, poderíamos iniciar um abaixo-assinado, quem sabe???

Um comentário:

Jose Roberto disse...

parabens pela materia