terça-feira, 5 de fevereiro de 2019

A pressão e a força de populares, convencem vereadores. Parlamentares se dizem sensibilizados com moradores de Ribeirão Bonito

O relógio marcava 19h00 horas quando moradores começaram a chegar em frente a câmara de Ribeirão Bonito, local em  que havia sido marcado pelas redes sociais, a mobilização pacífica contrária ao comunicado da prefeitura paralisando o transporte escolar na zona urbana.
Concentração da mobilização em frente a câmara de Ribeirão Bonito 

Um dos moradores que encabeçou a mobilização, Roberto Marangoni, poucos minutos antes do inicio da sessão ordinária que discutiria o assunto, falou para as pessoas presentes ainda na praça Silvio Gomes, da importância de pressionar o Legislativo e o Executivo para que os estudantes não tivessem prejuízos e para que o prefeito repensasse na decisão de tirar a condução dos estudantes.

"Essa manifestação é exclusivamente de cunho popular em beneficio de todos, quero deixar bem claro que não existe nenhum interesse político. Estamos aqui defendendo uma causa de pais e mães que saem dos seus lares, cinco, quatro e meia da manhã para trabalhar e seus filhos sendo negligenciados por um ato que tenho o costume de dizer, um ato autoritário, um ato covarde por parte de uma administração individualista e extremamente ditadora". disse Marangoni.

"Se nós ficarmos calados, vai ser assim em toda a situação ditadora por parte do Executivo que tem o costume de fazer tudo pelo seu bel prazer", completou e continuou "Mais de 10 milhões nos cofres públicos não tem sido suficientes para trazer uma água de qualidade ao povo. Marangoni disse que muitas vezes o morador em determinados bairros chegam em suas casas e não tem água para a higiene pessoal e quando vem é uma água barrenta e suja, sem ao menos um tratamento adequado". Roberto Marangoni disse que o tratamento de água do município chega a ser vergonhoso, chegando a cobrar  dos vereadores uma posição clara de qual lado os parlamentares estariam , perguntando se era do lado do povo ou não. Vários vereadores acompanharam a fala de Marangoni. O vereador Regivaldo, o Reginho, quis falar com os presentes naquele local, mas foi impedido por Marangoni dizendo que ele, Reginho, que falasse na câmara e não ali.

Sessão de Câmara
Durante a sessão de câmara que foi muito demorada para se chegar ao assunto de interesse dos que ali se encontravam, moradores conversavam e apontavam para os vereadores cobrando uma atitude firme na defesa de sues interesses.
 Sessão de Câmara de Ribeirão Bonito 

Durante a leitura, o Presidente João Victor chegou a suspender a sessão por alguns instantes, momento esse que a professora  Sonia Borges que lá estava, explicou aos presentes que a resposta do Executivo poderia vir apenas após 15 dias, quando uma próxima sessão seria instalada. Borges disse que era preciso agilizar esse processo para que a população tivesse uma resposta o quanto antes.
Professora Sonia Borges

                                                                      Tema Livre
O primeiro vereador a falar foi o vereador Valdinei de Oliveira(DEM) que foi taxativo quanto ao apoio aos moradores para continuarem a manifestação junto ao executivo para que o prefeito pudesse voltar atrás em sua decisão de cortar o transporte escolar dos alunos.

Valdinei se referindo ao circular que o prefeito quer colocar no lugar no transporte escolar, disse que essa condução não é viável e a lei não permite que estudantes façam uso dela. Disse também que a prefeitura em dezembro de 2018 apresentou números que comprovariam que a área da educação tem recursos suficientes apara bancar o transporte de alunos. Para o parlamentar a decisão do prefeito é uma decisão equivocada.

O segundo a se utilizar do tema livre foi o vereador Armando Luis Lombardo Simões(PTN) que aumentou o tom em críticas ao prefeito, discorrendo sobre vários aspectos da administração que chamou de desastrosa. Em certo momento deixou a entender que até mesmo um aparelho de medir pressão estava faltando em um posto de saúde da cidade, sem citar qual o posto. Armando disse que o prefeito comprou quatro carros novos inclusive anda em um deles e não quer disponibilizar ônibus aos estudantes. O vereador apoiou veementemente a atuação da população exigindo os seus direitos. "Estou com vocês", disse Armando. Em todas as suas participações em tema livre, Armando não deixa de levar o plano do governo do então candidato Chiquinho, como um exemplo do não cumprimento do prometido.

Regivaldo Rodrigues dos Santos(PSDB) tentou se descolar da pecha de que defende fielmente o prefeito, mostrando  que sempre esteve sensível  aos anseios da população. Contou algumas passagens como vereador e de como teria agido em favor da população. No caso em questão, Reginho como é conhecido, apoiou os moradores em suas reivindicações junto ao Executivo.

Manoelito Gomes da Silva(PTB) fez um apanhado de seu mandato como vereador deixando claro a todos que age de acordo com o que pensa e sua consciência. No caso do transporte escolar de alunos também foi favorável aos moradores e a revindicação que faziam.

Nelson de Souza (PSB) foi o que mais críticas fez ao prefeito Chiquinho Campaner chegando a dizer que o chefe do executivo teria que tomar vergonha na cara. Além de censurar a atitude do prefeito em querer cortar o transporte escolar da zona urbana, Nelsinho avançou em outros assuntos que taxou  de atitudes equivocadas do prefeito. Falou do ônibus que presta serviços aos idosos(grupo da terceira idade) que a pessoa que assumiu esse transporte não estaria com a devida documentação em detrimento de outra que apresentou legalmente toda a documentação exigida, porém não foi contratado. Nelsinho usou o termo "Burlar a Lei" em relação ao prefeito Chiquinho Campaner.

Nelsinho criticou a maneira como o assessor de imprensa está agindo usando o seu site particular em defesa da atual administração. Não foi o único a fazer essa crítica, Marangoni também se referiu ao assessor com críticas. 

Eraldo Chiavoloni(DEM) foi no mesmo tom que os demais vereadores apoiando a iniciativa dos moradores em pressionar o prefeito para que repensasse na decisão de cortar o transporte escolar. Eraldo falou também da falta de uniforme para os alunos, achando um absurdo alunos não receberem uniformes.  "O prefeito acha que o dinheiro é dele", disse o vereador. "Conte comigo para o que der e vier", falou ao final aos presentes


Leandro Donizette Mascaro (DEM), o Galego iniciou sua fala dizendo:  "Estou do lado da população" . Galego mostrou um documento dizendo ser uma petição que iria encaminhar ao Ministério Público com o objetivo de mostrar a promotora pública da obrigatoriedade da atual administração em acolher os estudantes com transporte escolar. Para o parlamentar, o que seria gasto mensalmente era algo irrisório, em torno de R$ 5 mil/mês. Outros assuntos de interesse da comunidade foi comentado pelo vereador sempre mostrando o lado em que se posicionava, o da população.
                                  Comissão de Moradores
Ao final a moradora Priscila Camilo, uma das que mais falou aos presentes e aos vereadores, além de Roberto Marangoni,  sugeriu formar uma comissão e junto com os vereadores pressionar o prefeito para voltar com o transporte  escolar.

"Vejam como a população tem força, nós devemos participar mais da vida política da cidade e exigir os nossos direitos. Vereadores e Prefeito são nossos empregados, pois somos nós que pagamos o salário deles, não venham com essa de favor. Não queremos esmolas, queremos que sejam respeitados os nossos direitos", disse uma moradora, ao final da sessão antes de deixar a praça local.

3 comentários:

sonia borges disse...

Fiquei feliz com a presença da população e da ênfase que do cunho da reunião, que não era político mas popular. Mesmo vereadores da base governamental se mostraram sensibilizados com a causa, outros professores também se solidarizaram mas esta decisão não pode esperar 15 dias e nem mesmo 8 dias em uma sessão plena ou ordinária. Pedimos como país e professores, que o Senhor Prefeito coloque-se no lugar, não no lugar dos pais, mas de nossos pequenos alunos da educação infantil e de seus irmãos. Um aluno de 3 anos ontem na Câmara, disse que amou seu primeiro dia de aula, mas ele estava muito cansado. Por favor prefeito, sei que no seu tempo vocês andavam muito para ir à escola, mas hoje há transporte e renda pra ser gasta na Educação. Pense nisso, Deus o ilumine e obrigada.

Angela disse...

As crianças pequenas não podem andar com outros usuários do circular,pode acontecer algum acidente no caminho como elas serem empurradas ou numa freada elas caírem no chão,fora que o circular não tem nem onde sentar direito, além disso elas correm o risco de um tipo mal intencionados chamar um pequeno pra sentar no seu colo,as crianças precisam do transporte proprio para elas com lugar para sentar e cinto de segurança,que elas vão pra escola em segurança e voltem em segurança.

Angela disse...

As crianças pequenas não podem dividir o circular com outros usuários do circular pode acontecer algum acidente no caminho como elas serem empurradas ou numa freada elas caírem no chão fora que não da nem pra sentar direito além disso elas correm o risco de um tipo mal intencionados chamar um pequeno pra sentar no seu colo as crianças precisam de um transporte próprio e seguro onde elas vão pra escola em segurança e voltem em segurança e os pais ficam tranquilos