sexta-feira, 4 de agosto de 2017

Pedir não ofende...

Por favor, prezado Padre Morales, não deixem soltarem rojões durante Alvorada em Ribeirão Bonito. Se o senhor acha que essas pessoas abaixo, merecem o respeito a esse pedido, encarecidamente pedidos a sua ajuda e compreensão. 

Assinado, alguns moradores proprietários de pequenos animais;
Assinado, alguns moradores com pessoas enfermas em casa;
Assinado, algumas mães com bebê recém -nascidos;
Assinado, alguns trabalhadores que querem descansar até um pouco mais tarde;
Assinado, alguns idosos que muito se assustam com o barulho.
Como disse, pedir não ofende....não que seja obrigado a nos atender, mas dentro do possível, agradecemos.
Marcos Baldavira Sim, Padre! Em nome de São Francisco lhe pedimos para não permitir essa tortura com os animais, doentes e bebês! Santos não se importam com fogos: a maioria deles viveu antes da invenção da pólvora! E em nome de São Francisco também pedimos para se posicionar contra a realização de rodeio em nossa cidade. Vamos demonstrar que somos civilizados. Não vamos torturar animais indefesos em nome de diversão. Vamos mostrar que, pelo menos neste aspecto, Ribeirão Bonito se encontra no Século XXI!
Remover
Marcos Baldavira Hoje mesmo uma amiga postou aqui a triste notícia que seu cachorro infartou e morreu por causa dos fogos!

Responder

12 comentários:

LUIZ HENRIQUE disse...

Por favorrrrrrrrrrrrrr.
Que DEUS lhe abençoe pela compreensão.

Patricia de Oliveira disse...

Minha amada cachorrinha infartou por causa de fogos ontem a tarde, morrendo durante a noite. Triste demais...

LUIZ HENRIQUE disse...

Por Favor PADRE , não nos permita essa tortura , ainda mais que será um Domingo, que é o único dia que temos para descansar .

Carlos Gomes disse...

Uma vez por ano, padroeiro da cidade, quando é final de campeonato o senhor vai tirar fotos na praça do alvoroço e acha bonito né, deixa o padre fazer festa, soltar rojões, vai se preocupar com coisa mais importante para a cidade do que implicar com os rojões do padre, vai achar o que fazer.

Cristiano Ávilla disse...

Quando a AMARRIBO soltava fotos todos os dias não havia preocupação com os animais, idosos e bebês.
Vai achar assunto interessante pro seu blog, ronco.

Anônimo disse...

Entao ne. So agora os animais morrem por barulho? So agora temos pessoas doentes ? Quando o time de futebol é campeao, pode né? Por que nao pedem pros torcedores nao fazerem carreatas e nem soltr rojoes?Dá medo né, eles podem partir pra ignorancia. Ah, o padre nao vai partir pra briga ne? Sem hipocrisia por favor. Sempre teve fogos, sempre teve festa. Menos,bem menos né.

Ana Maria Barelli disse...

Usar sempre o bom senso, pode ser fogos sem barulho, muitas cidades usam dessa forma, e é bonito do mesmo jeito.

Matheus disse...

Ninguém merece! Fogos, alto falantes etc...etc...

Paulinho disse...

Quem quer silêncio que se mude para o cemitério

Amigo do Paulinho disse...

Paulinho, do cemitério dá para escutar também...

Carol Willly disse...

Olha não sou de partido nenhum e tão pouco amiga das pessoas ,são apenas conhecidos pois vivemos em uma cidade pequena aonde todos sabem.quem são todos.estou morando aqui a 5 anos e esse pedido foi feito com respeito não somente pelo dr.ronco quanto pelos demais que escreveram ,e também estou nessa (dizer não aos rojões),e também sempre foi pedido não aos rojões não somente nas festas como em.campeonatos ou qualquer outra coisa que seja .
Se cada um fizer sua parte ,não haveria esse tipo de pedido.
Vamos ser civilizados .e respeitemo-nos.
O blog do ronco pelo que entendi temporada finalidade postar o informações e acontecimentos ,e suas opiniões .Isso não significa que todos devem aceitar mas devemos respeitar a opinião contraria ou não .
Bom ,vamos ter bom senso ,e não usar um pedido feito com tamanha educação com pretexto para brigas e discussões sem proveito .
Eu tb digo não aos rojões !

Sergio Ronco disse...

Obrigado por entender o nosso objetivo, Carol Willy. Reafirmo que a pluralidade de opiniões sempre será importante. O respeito sempre existirá de nossa parte, mesmo porque não se faz jornalismo sem o devido crédito e respeito ao contraditório. Forte abraço!